Está aqui

Comunicado: Sentido de Estado Procura-se

Lisboa, 11 de Junho de 2008 - A crise que Portugal atravessa necessita para a sua resolução de um grande sentido de Estado. Não apenas da parte do governo, mas também dos partidos da oposição, dado que a actual situação não se deve exclusivamente ao actual governo, mas sim a decisões políticas tomadas nas últimas décadas por vários governos e à conhecida alta dos preços do crude.

O MLS - Movimento Liberal Social apela a todos os partidos políticos com assento parlamentar para que, de uma forma construtiva e em conjunto, procurem uma solução para a actual situação, a qual não pode ser encontrada através da oposição destrutiva e do teatro político a que os actuais partidos com assento parlamentar nos habituaram.

O MLS defende também que:

- É fundamental manter-se o respeito pela lei e a ordem pública. Se o direito à greve deve ser respeitado, ele não pode em caso algum afectar o direito de outros a trabalhar. Quaisquer desrespeito pela lei, ou destruição da propriedade privada de outrem, devem ser impedidos ou imediatamente sancionados;

- A actual estrutura de impostos sobre os combustíveis deve ser revista tendo como objectivo aproximação à taxação espanhola, por forma a não prejudicar a competitividade da nossa economia. Foi um erro político permitir que os impostos em Portugal sobre o consumo de combustíveis fossem superiores ao nosso país vizinho e tal deveria ser assumido por todas as forças políticas que contribuíram para a actual situação;

- O enfoque nas energias renováveis e na eficiência energética deverá ser ainda maior, reduzindo-se ao mínimo a carga fiscal sobre os equipamentos necessários para as utilizar e sobre as próprias energias;

- Quaisquer que sejam as medidas tomadas é necessário que sejam tomadas de uma forma justa para todos os sectores da economia. Porque, se ontem foi a pesca e hoje são os transportes, amanhã será a agricultura, os serviços e a indústria. Medidas avulsas acabam apenas por beneficiar quem faz mais barulho e não resolvem os problemas que todos os sectores estão a sofrer. Infelizmente, as notícias indiciam que este se limita a apagar sucessivamente fogos e não a procurar uma solução global para o problema;

- O actual problema, mais do que um problema de custos elevados de uma matéria prima (os combustíveis), é um problema de preços de prestação de serviços e de revenda de bens, preços esses que têm que aumentar mas que, devido a problemas de concorrência estruturais na nossa economia, não estão a aumentar.

Conteúdo Geral: