Está aqui

MLS insta partidos a definirem-se face à política europeia

Lisboa, 19 de Abril de 2009
Aproximamo-nos novamente de umas Eleições Europeias e, perante a pior crise económica dos últimos trinta anos, a sempre provável concentração no debate meramente nacional intensifica-se.

Sendo natural que temas da política interna estejam sempre presentes, é preocupante a quase ausência de discussão sobre política europeia. Esta atitude, reiterada eleição após eleição, tem levado a um afastamento dos cidadãos face ao projecto europeu, impedindo-os de perceber qual a relevância da UE e qual a importância do Parlamento Europeu para as suas vidas.

Facto sempre omitido é qual o grupo parlamentar europeu em que cada partido se irá incluir; Portugal, apesar de ter cinco partidos com eurodeputados, está representado em apenas três dos sete grupos do Parlamento Europeu, atendendo a que PCP e BE estão ambos na Esquerda Unitária e que o PSD e o CDS estão ambos no PPE. Em face disto, o Movimento Liberal Social pede que cada partido, num sinal de transparência mas também de pedagogia política, revele qual o grupo parlamentar em que irá tomar assento.

Para além disso, a escolha do próximo Presidente da Comissão Europeia é uma questão de enorme relevância e na mesma óptica de transparência, não é aceitável que os partidos não revelem qual a sua posição oficial relativamente a este tópico.

Maior maturidade cívica por parte dos cidadãos exige maior maturidade política por parte dos partidos políticos. O Movimento Liberal Social, enquanto movimento decididamente europeísta, insta os partidos portugueses a clarificar as suas posições face à Europa enquanto projecto, mas também à União Europeia e aos seus aspectos institucionais; só assim o voto nas próximas eleições poderá ser efectivamente esclarecido.

Conteúdo Geral: