Está aqui

Pelo investimento em software livre

Lisboa, 19 de março de 2012 - O Movimento Liberal Social (MLS) congratula-se com a decisão da Câmara Municipal de Vieira do Minho em continuar o investimento em software livre, poupando assim este ano cerca de 34.000€ em licenças de software. Em recente comunicado da câmara, o “software possibilita o uso dos mais variados sistemas operativos para uso das diversas ferramentas, tem sido adotado a nível internacional com resultados muito positivos e encorajadores”.

Consideramos que tal medida se deve estender a toda a Administração Pública, fundamentalmente por uma questão de eficiência financeira. Existem diversas áreas na qual o software livre consegue satisfazer a totalidade das necessidades da esmagadora maioria dos utilizadores e para as quais, excetuando um período de transição inicial associado à troca de uma aplicação por outra, poucos ou nenhuns inconvenientes advirão desta opção.

Adicionalmente, mesmo que o software livre não se adeque a algumas situações e tendo em conta que este tipo de software é de código aberto e permite adaptações, poderá ser mais rentável para as organizações públicas procederem elas mesmo a estas adaptações, com a vantagem, que neste caso estará a promover-se a criação de emprego em Portugal e não a pagar licenças de software a empresas que são geralmente estrangeiras.

Uma adoção estratégia generalizada deste tipo de software pelo Estado, poderia mesmo, gerar um efeito em cadeia e de economias de escala, que iria trazer poupanças significativas para o país, inclusivamente ao nível das empresas privadas, tornando toda a economia mais competitiva.

O MLS estranha e lamenta, que, entre muitas das medidas de austeridade e redução de custos adotadas pelo governo, este tipo de medidas, como o exemplo agora exposto acima, ainda não tenha sido seguido, em particular, porque ao contrário das meras reduções de custos tradicionais, esta é uma medida que pode ajudar a reduzir custos e a gerar emprego no nosso país.