Está aqui

Wilhelm Röpke

(10 Outubro 1899, Schwarmstedt – 12 Fevereiro 1966, Genebra)

Wilhelm RöpkeWilhelm Röpke – e companheiros seus como Walter Eucken, Franz Böhm e Alexander Rüstow – foi um dos pais intelectuais da economia de mercado alemã, implementada por Ludwig Erhard como “Economia de Mercado Social”. Embora nunca tenha gostado de ser rotulado, orgulhava-se de ser internacionalmente conhecido como um “grande economista austríaco”, na tradição de Ludwig von Mises. Na Alemanha, defensores da economia de mercado como Röpke eram chamados de “neoliberais” ou “ordoliberais”. Nas palavras de Röpke: “Defendo uma ordem económica regulada por mercados e preços livres... a única ordem económica compatível com a liberdade humana”.

Röpke foi um grande exemplo de coragem pessoal na luta contra os nacional-socialistas e contra qualquer tipo de colectivismo, bem como um brilhante analista das complexas crises económicas e sociais do seu tempo e um político visionário. Em 1930, por exemplo, antes das eleições para o Reichstag, ele avisou: “Ninguém que vote nos nacional-socialistas a 14 de Setembro poderá dizer mais tarde que não sabia qual poderia ser o resultado. Deve saber que vota para o caos em vez da ordem, para a destruição em vez da construção... pela guerra interna e externa”. Röpke era não só um excelente perito em comércio – criou uma teoria dos ciclos na tradição das teorias monetárias e de capital de Mises, Böhm-Bawerk e Hayek –, como também sugeriu ao governo alemão, na Comissão Brauns (1930-1931), algumas medidas concretas para ultrapassar a depressão e o desemprego, antes de surgir a “Teoria Geral” de Keynes (1936).

Devido à sua oposição determinada aos nazis, teve de abandonar a sua pátria em 1933, fixando-se primeiro em Istambul, e depois, em 1937, no Instituto de Estudos Internacionais em Genebra. A boa reputação de Röpke junto do Chanceler Adenauer ajudou Ludwig Erhard a implementar a economia de mercado alemã contra socialistas de todos os partidos. Internacionalmente, ele abriu o caminho diplomático à recuperação moral e económica da Alemanha. Como membro fundador da Mont Pelerin Society (1947) e como adepto do comércio livre, Röpke estava convencido de que a liberdade, a paz e a riqueza se promovem melhor – nacional e internacionalmente – através da competição em mercados abertos, da lei, da propriedade privada, da estabilidade financeira e de um sistema federal como o da Suíça, no qual pessoas de várias culturas e religiões vivem em paz, num sistema social de liberdade e auto-responsabilidade.

Bibliografia:

  • Röpke, Wilhelm – Is the German Policy the Right One? (Evidence for Chancellor Adenauer 1950), in: Standard Texts on the Social Market Economy, Gustav Fischer, New York 1982
  • Röpke, Wilhelm – International Order and Economic Integration, Dordrecht, Holland 1959

Links:

Texto original de Horst Werner, traduzido por Luís Humberto Teixeira

Taxonomy upgrade extras: